in ,

GDF e novos parceiros assistem população de rua no Distrito Federal

Este reforço de pessoal de saúde conta com uma parceria entre o GDF, a Fiocruz Brasília e a Secretaria de Saúde e Desenvolvimento Social (Sedes). Tendo apoio paralelo de outras entidades como Sejus, SSP, Codhab, CEB, Caesb, PMDF, PC, CBMDF, DETRAN e Defesa Civil.

Vários profissionais residentes com formação específica desenvolvem ações do serviço “Consultório na Rua” e em unidades de acolhimento em todo DF.  

Essa operação integrada está envolvendo 76 residentes da Fiocruz sendo que 24 já atuam com foco nesta população de rua que ficaram ainda mais vulneráveis com a pandemia.

Funcionam como ações preventivas evitando agravos futuros.  Dentre os residentes temos enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas, assistentes sociais, médicos e educadores físicos. Os quais trabalham para a melhoria física e psicológica dessa camada mais necessitada.

Esses residentes também receberam uma formação específica de 30 horas voltada exatamente para população em situação de rua.

Neste contexto os diagnósticos são diversificados. Desde uso exacerbado de álcool e drogas até problemas mentais. Nos casos mais específicos e urgentes os pacientes são encaminhados as Unidades Básicas de Saúde. Um verdadeiro desafio para os profissionais engajados neste programa.

No Plano de Ação Interinstitucional seguem duas linhas de atuação:

-Nas ruas, pessoas que não aceitam abrigos – é realizado apoio clínico assistencial com a turma de voluntários.

-Nos abrigos – os residentes fazem apoio de retaguarda especializada e serviços de biossegurança. Também são executados atendimentos individualizados e trabalhos em grupos, uma forma de convencimento para que continuem abrigadas e protegidas nestas instituições.

Temos outras frentes sendo atendidas como as unidades provisórias do Autódromo e do Abadião em Ceilândia. Existem integrações com Acolhimento para Adultos e Famílias, as Mulheres, e Idosos.

Setor Comercial Sul

Esta semana a equipe fez 57 atendimentos diversos, incluindo exames de COVID-19, para quem manifestou interesse voluntário, pois este serviço não pode ser prestado de forma compulsória.  O objetivo da Ação Integrada é alcançar cerca de 1,8 mil pessoas desamparadas em situação de rua mapeadas pelo GDF.

Avatar

Escrito Por Nelson Rizzo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

GDF libera funcionamento de novas atividades

GDF libera funcionamento de novas atividades

“Reforma administrativa é uberização do serviço público e aprofunda desiguladades”, afirma Fábio Lima

“Reforma administrativa é uberização do serviço público e aprofunda desiguladades”, afirma Fábio Lima

Teste!