Operação realizada pela Polícia Civil-DF na sexta-feira (26) levou para cadeia um empresário morador da cidade de Águas Claras.

Foto: Tribunal do Paraná

Este empresário, cujo nome não foi divulgado, é acusado de promover festas, após o início da pandemia, em toda Capital Federal e entorno.

Com amplo acesso a grandes eventos e com uma vasta rede social começou a disponibilizar “convites” para festas, que geralmente ocorriam, no Lago Oeste em Sobradinho, para pessoas de alto poder aquisitivo. Desta forma contribuindo para comercialização de diversas drogas.

Dentre as drogas disponibilizadas, a maior parte delas sintéticas, foi apreendida Ecstasy, MDMA (uma das drogas mais potentes, conhecida com Madonna ou Michel Douglas), lança-perfume e loló. Além de R$14 mil em espécie, proveniente do tráfico.

Conforme expôs o Delegado Rogério Cardoso, Chefe da Coordenação de repressão às Drogas (CORD), após a denúncia, o mandado de busca e apreensão foi expedido pela Justiça e cumprido na sexta-feira na residência de Águas Claras.

O acusado foi autuado por tráfico. Sua pena poderá variar de 5 a 10 anos de reclusão. Tal crime é inafiançável. O acusado encontra-se à disposição da justiça e caberá ao Juiz se ele responderá em liberdade ou em prisão provisória.

Share This
Participar