in

Pets e o covid-19

Nós do Águas Claras Mídia, pensando na comunidade, preparamos uma matéria exclusiva e de grande importância, uma vez que contamos com uma grande quantidade de animais de estimação, principalmente cães e gatos.

Foto:Arquivo Pessoal

Embalados pela quantidade significativa de Fakes-News (matérias que caem na rede, sem veracidade), tentaremos aqui, dirimir dúvidas e mostrar o que podemos ou não fazer com nossos bichinhos neste período tão tortuoso pelo qual passamos.

Dra. Ludmila Humig, médica veterinária especialista em dermatologia, clínica médica e cirurgia, nos recebeu e expõe de forma clara alguns aspectos.

ACM – Dra. Ludmila, como cuidar dos animais em tempos de Covid-19?

 Dra. Ludmila – Os cães e gatos são mamíferos que podem ser acometidos pelo coronavírus, mas não são capazes de serem infectados com o Convid-19, houve um caso em Hong Kong que deixou essa suspeita em evidencia. Um cão que fez o teste biológico deu positivo para o covid-19 com baixa titularidade.

Sabemos que o coronavírus Covid-19 é espécie específico, ou seja, não tem relação cruzada entre espécies (cão não contamina humanos, nem gatos e gatos não contaminam nem humanos e nem cães, em contrapartida os humanos não contaminam essas duas espécies).

ACM- Existe alguma forma do pet alastrar a doença?

Dra. Ludmila- Apesar de não existir contaminação cruzada o pet pode ser uma “superfície” de contaminação.  A pessoa contaminada através de tosse ou espirro até mesmo falando, às gotículas ou secreções podem contaminar qualquer nível (fomintes, daí o uso do álcool em gel à 70% em tudo que tocarmos), inclusive o pelo dos animais.  Lembrando que o animal não transmite mas pode carrear a doença caso ele tenha contato com um humano infectado.

ACM – E quanto aos pacientes infectados ou em quarentena?

Dra. Ludmila – Pacientes infectados ou em isolamento não devem ter contato com os animais. Hospedem os animaizinhos em hotéis, casa de amigos ou parentes. O animal pode ser um grande vetor biológico e não transmissor da doença.

Imagem: Microvet SJV

ACM- Existe um coronavírus que atinge o cachorro?

Dra. Ludmila- Sim, existe o coronavírus canino, que atinge o trato gastrointestinal de cães, podendo desencadear um processo de diarreia e vômito. Mas o homem é resistente a esses vírus que não tem nenhuma ligação com o Covid-19 onde ataca às vias respiratórias.

ACM- Qual o papel do médico veterinário?

Dra. Ludmila- O médico veterinário é parte integrante do Sistema de Saúde Única, que envolve o ser humano, os animais e o meio ambiente.

Nessa perspectiva, a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) e a Associação Mundial de Veterinária (WVA), emitiram nota defendendo que os serviços veterinários e de nutrição animal são essenciais para a saúde pública, especialmente na prevenção de emergências e enfrentamento de pandemias, como a que estamos atravessando nestes dias.

ACM- Nesse período de pandemia devo levar meu pet ao veterinário?

Dra. Ludmila- Sim! O seu pet não pode ficar doente sem atendimento. O mundo não parou e outras doenças existem e devem ser cuidadas e tratadas. Procure seu veterinário de confiança, agende um horário (agendamentos diminui o fluxo de gente na clínica) e o veterinário como uma agente de saúde já está preparado e cumprindo as diretrizes básicas em tempo de Convid-19.

ACM- Meu pet deve ir ao banho e tosa?

Dra. Ludmila- Nesse momento evite de leva-lo com muita frequência. Use também de agendamentos com horários exclusivos.

ACM- Tem vacina para o coronavírus de cachorro? Humanos podem tomá-la?

Dra. Ludmila- Muito importante isso. Até “viralizou” um vídeo pela internet. As vacinas múltiplas, como a V-8 e V-10, imunizam o cachorro contra o coronavírus canino, que não é o mesmo que está em evidência. Essas vacinas não podem ser aplicadas em humanos e não são eficazes contra o Convid-19.

ACM- Posso passear com o meu cachorro na rua?

Dra. Ludmila- Nesse período de contenção do coronavírus, a recomendação é que as saídas ao ar livre com os animais de estimação sejam curtas e objetivas, acompanhada apenas de um responsável atendendo apenas as necessidades fisiológicas. Lembrando de sempre recolher os dejetos deixados pelo animal. Busque um horário de temperatura amena, evite contato com outros cães e pessoas.

ACM- Após os passeios o que devo fazer?

Dra. Ludmila- Procure higienizar as patinhas dos cães não esquecendo de após a limpeza hidratar as “almofadinhas” palmares e plantares. Pode também fazer uso de sapatinhos. Se possível escove a pelagem com auxílio de gel para banho seco. Mantenha sempre limpa a pelagem de seu animal.

Agradecemos a participação da Dra. Ludmila que se colocou a nossa disposição, atenuando as dúvidas sobre como proceder com nossos animaizinhos, neste período conturbado

Ludmila Humig – CRMV DF 1290

Clínica Veterinária Vida Animal – Águas Claras

Rua 8N – Boulevard Caymmi lj 1

61.3522.2007

O que achou dessa notícia?

2 points
Upvote Downvote
Avatar

Escrito Por Nelson Rizzo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Comments

0 comments

DF atinge 9,7 mil casos de dengue

DF atinge 9,7 mil casos de dengue

Boost business benefits with digital data rooms | Virtual data room