• Vendedor ambulante denuncia agressão de seguranças da CPTM em estação da Linha 7-Rubi; veja vídeo
    on 5 de julho de 2020 at 01:27

    Imagens gravadas por colegas mostram jovem sendo enforcado. CPTM diz que seguranças foram acionados após grupo em que vendedor estava lançar pedras e outros objetos na plataforma; eles negam. Vendedor ambulante é agredido por seguranças da CPTM em São Paulo Um vendedor ambulante afirma que foi agredido por seguranças da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) após uma confusão na estação Francisco Morato da Linha 7-Rubi, na última quinta-feira (2). Vídeo gravado por colegas mostra o jovem sendo enforcado pelos agentes e com a cabeça sangrando. (Assista acima). Segundo o Boletim de Ocorrência do caso, os agentes afirmaram que estavam na cabine que serve de abrigo contra chuvas para os vigilantes, na passagem de nível da plataforma da estação, onde há um barranco que dá acesso a uma comunidade. Um grupo de jovens que estava no alto do barranco teria então arremessado pedras na cabine. O segurança afirma que teria levado um soco de um dos jovens quando foi averiguar a situação. Ainda de acordo com o Boletim de Ocorrência, os jovens negam que jogaram pedras contra a cabine dos seguranças e alegam que foram agredidos injustamente. O vendedor Caio Augusto Souza, de 19 anos, afirmou em suas redes sociais que, após a confusão, os seguranças já haviam afirmado que ele seria liberado e que estava "tudo certo". Ele então teria sido agredido pelas costas, com um cassetete. Além disso, ele afirma que foi algemado e arrastado para uma sala estação, onde teria sido agredido por 10 homens. O vendedor ainda afirma que levou sete pontos na cabeça e que está com hematomas nos braços, costelas e no rosto. Vendedor ambulante com rosto ferido após ser agredido por seguranças da CPTM Reprodução/Redes sociais Em nota, a CPTM afirmou que, "por volta de 17h30 de quinta-feira (2), quatro pessoas, que estavam sentadas em um muro ao lado da Estação Francisco Morato, começaram a jogar latas, garrafas e pedras na direção da plataforma 2, colocando em risco os passageiros que aguardavam o trem". Disse ainda que "agentes de segurança foram acionados e, ao chegarem ao local, foram agredidos por dois homens. Com o apoio da PM, dois indivíduos foram conduzidos ao DP do município, onde foi lavrado o B.O. de lesão corporal e depois foram liberados". No Boletim de Ocorrência, tanto Caio e o amigo quanto os agentes aparecem como autores e também vítimas de lesão corporal.

  • Ciclone bomba é considerado o maior desastre com ventos da história de Santa Catarina
    on 5 de julho de 2020 at 01:27

    Subiu para 12 o número de mortos por causa do ciclone bomba no sul do país. O presidente Bolsonaro sobrevoou áreas afetadas em Santa Catarina neste sábado. Ciclone bomba é considerado o maior desastre com ventos da história de Santa Catarina Subiu para 12 o número de mortos na passagem do ciclone bomba pelo sul do país. O presidente Jair Bolsonaro sobrevoou as áreas mais afetadas em Santa Catarina. O presidente desembarcou do avião usando máscara e foi recebido pela vice-governadora Daniela Reinehr. Depois, de helicóptero, sobrevoou, por 40 minutos, as cidades da Grande Florianópolis mais castigadas pelo ciclone. Antes de voltar para Brasília, Bolsonaro teve uma reunião virtual com o governador Carlos Moisés, do PSL, que está em isolamento depois de testar positivo para a Covid-19. O presidente pediu levantamentos mais detalhados para liberação de recursos. Na cidade de Governador Celso Ramos, 80% das construções sofreram algum tipo de dano. O ginásio de esportes veio abaixo. E são cerca de 3 mil imóveis para recuperar. O segundo andar da casa de Francisco Petry, mestre de obras, sumiu. “Tem vizinho que diz que tem pedaço da minha casa lá. Estamos aí organizando, vendo o que dá para aproveitar de material. Vamos fazer outra, se Deus quiser”, relata. “Eu vivi 70 anos e nunca vi uma coisa dessas. A gente não tem mais nem coragem de entrar lá dentro de casa, é só caco de vidro, tudo quebrado, tudo destruído”, diz Maria Sagaz Cunha, comerciante. Neste sábado (4) foi encontrado o corpo de uma das duas pessoas que ainda estavam desaparecidas. Agora já são dez mortes causadas pela tempestade. De acordo com a Defesa Civil, o ciclone bomba já pode ser considerado o pior desastre com ventos da história do estado, superando até os estragos causados pelo furacão Catarina, em 2004. Cento e oitenta e quatro municípios foram atingidos, 62% das cidades catarinenses. O estado decretou calamidade pública. Imagens impressionantes continuam a surgir quatro dias depois da passagem do ciclone, como em uma igreja em Garuva, no norte do estado. “Se fosse uma hora e meia mais tarde, teríamos um encontro de mulheres, do círculo de oração, onde sempre tem de 50 pessoas para mais”, conta Gelmar de Moura, pastor. As famílias atingidas agora correm contra e tempo e contam com a solidariedade para voltar para casa. Afinal, não dá para ficar sem um teto no inverno rigoroso do Sul do Brasil. “Eu vim pegar uma lona para tampar, para ver se consegue salvar o pouquinho que restou dentro de casa. Eu não tenho condições de arrumar nada. A prefeitura vai ajudar, se eles não me ajudassem, eu não conseguiria”, desabafa Renata Chaves, cobradora de ônibus.

  • Em quatro dias, dois detentos do sistema penitenciário morrem com coronavírus, em Aparecida de Goiânia
    on 5 de julho de 2020 at 01:26

    Um dos presos contraiu a doença fora do sistema prisional e não teve contato com os demais custodiados. Já o segundo preso, contraiu o vírus dentro da prisão. Dois presos morrem infectados por coronavírus em Aparecida de Goiânia Dois detentos do sistema penitenciário goiano morreram na última semana devido a complicações causadas pelo coronavírus. A primeira morte foi informada pela Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) na terça-feira, 30 de junho, e a segunda na sexta-feira (3). Um dos presos contraiu a doença fora do sistema prisional e o outro dentro do presídio. Os dois óbitos são o total de registros confirmados pela DGAP até este sábado (4). A direção da Colônia Agroindustrial do Regime Semiaberto de Aparecida de Goiânia, informou que recebeu o primeiro custodiado na triagem para as medidas de prevenção contra o coronavírus, período em que não foi constatado nenhum sintoma da doença. Antes de ser encaminhado para a carceragem, o preso, porém, apresentou necessidade de tratamento de saúde e foi levado pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) à uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA). "Diante dos fatos, a direção do presídio esclarece que o custodiado contraiu a Covid-19 fora das dependências do sistema prisional goiano e que ele não teve contato com os demais presos da unidade. A notícia da morte do preso por Covid-19 foi repassada para a direção da unidade prisional por um familiar dele", diz a nota enviada pela DGAP. O segundo óbito registrado dentro do sistema penitenciário aconteceu na última sexta-feira e segundo a DGAP, o detento estava em tratamento médico no Hospital Municipal de Aparecida de Goiânia após contrair o vírus dentro da prisão. A direção explicou ainda por meio de nota que o preso deu entrada na CPP na primeira quinzena de junho e estava internado para o acompanhamento médico por ter apresentado tosse desde o final do mês. “São três pontos que nos preocupam bastante. Os presídios, os socioeducativos e instituições de longa permanência, como os asilos. Então temos dialogado com a Secretaria de Segurança Pública neste sentido. Tem ala que é separada e dedicada para isso, mas é uma preocupação nossa. Se não houver uma contenção, há um grande risco de acontecer uma contaminação em massa nesses sistemas”, declarou o secretário Estadual de Saúde, Ismael Alexandrino. Casa de Prisão Provisória (CPP) fica dentro do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia TV Anhanguera/Reprodução Nota da DGAP O Comitê de Gerenciamento de Crise Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) no enfrentamento à pandemia causada pelo novo coronavírus informa que diariamente estão sendo realizadas no sistema prisional goiano, medidas de prevenção e combate a Covid-19. Segue abaixo a relação das ações da DGAP no enfrentamento da pandemia no sistema penitenciário goiano: 1. A criação de um Comitê de Gerenciamento da Crise sobre coronavírus no sistema prisional, logo no início da pandemia em Goiás, o que refletiu na rapidez de ações enérgicas preventivas e proativas eficientes para o controle da doença. O comitê se reúne constantemente para avaliações e tomada de novas decisões conforme o quadro da doença afim de garantir soluções rápidas e análise constante da realidade da doença no sistema; 2. A suspensão das visitas, de atendimentos presenciais de advogados, de atividades de trabalho e assistenciais de trabalho e religiosas. Neste caso, para o cumprimento da adequada assistência jurídica, foram instalados interfones em unidades prisionais para facilitar o contato entre advogado e cliente, em parceria com a OAB-GO, além de mecanismos de videoconferências entre juízes e presos para continuidade dos processos; 3. A utilização da Casa do Albergado e da Colônia Agroindustrial do Regime Semiaberto como “unidades de triagem” para os presos que ingressarão no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia; Nesta ação, todo preso encaminhado pelas Polícias Civil ou Militar só ingressam nas unidades que compõem o Complexo Prisional de Aparecida de Goiás, após passarem por um período de quarentena em um desses dois estabelecimentos penais. 4. A aquisição, com recursos próprios e a parceiros, de EPIs para o contato dos servidores com os presos; de produtos destinados a higiene pessoal e desinfecção de ambientes prisionais. Além disso, a produção de máscaras em unidades prisionais com utilização de mão de obra carcerária. Sobre EPIs, a DGAP iniciou novas instruções de processos para novas aquisições; 5. A distribuição de máscaras aos custodiados que laboram nas unidades prisionais ou que tenham que deixar a Unidade por algum motivo; 6. Todas as Unidades do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, receberam remessa de medicações para extermínio de parasitas prejudiciais à saúde; As regionais receberam também produtos para desinfecção de ambientes; 7. A realização de adaptações da Colônia Agrícola do Regime Semiaberto, o que propiciou a uma unidade básica de saúde para aprimorar a triagem de presos que serão inseridos no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia; 8. A promoção de palestras a respeito dos procedimentos de prevenção e combate ao Coronavírus e treinamentos sobre a utilização dos Equipamentos de Proteção Individual- EPI a servidores. Além disso, vídeos e cards e áudios produzidos pela instituição compõem a campanha educativa para servidores publicada em redes sociais e site do órgão; 9. A aquisição de pulverizadores e insumos (desinfetante a base de quaternário de amônio) com os quais foi realizada a desinfecção das Unidades Prisionais do Estado (carceragens áreas administrativas, e embalagens dos produtos levados por familiares aos presos) e demais departamentos que integram a DGAP; 10. A desinfecção de viaturas vem sendo realizada sempre que conduz preso com alguma suspeita de contaminação; 11. Testagem de servidores e de presos de todo o Estado (planejamento em execução); 12. Divulgação de boletim diário sobre a atualização do quadro da doença no sistema prisional entre servidores e presos, nas redes sociais e site da DGAP; entre outras ações.

  • Cantor Kanye West volta a dizer que vai se candidatar a presidente dos EUA
    on 5 de julho de 2020 at 01:11

    Não é a primeira vez que rapper promete concorrer à Casa Branca. Kanye West usa boné com frase símbolo da campanha de Trump durante encontro com presidente dos EUA no Salão Oval da Casa Branca, em 2018 AP Photo/Evan Vucci O cantor Kanye West voltou a dizer que pretende se candidatar ao cargo de presidente dos Estados Unidos, em publicação feita no Twitter neste sábado (4). "Devemos agora realizar a promessa da América [EUA] confiando em Deus, unindo nossa visão e construindo nosso futuro. Vou concorrer para presidente dos Estados Unidos", tuitou. Initial plugin text West não disse quando entraria na corrida eleitoral, mas publicou a hashtag #2020VISION. O magnata norte-americano Elon Musk, CEO da Tesla e da SpaceX, disse que apoiaria o amigo. "Você tem todo meu apoio", escreveu o empresário, marido da cantora Grimes. Initial plugin text Os EUA terão eleições presidenciais em novembro deste ano, e os partidos Republicano e Democrata estão praticamente confirmando as candidaturas de Donald Trump, atual presidente, e Joe Biden, ex-vice de Barack Obama. As primárias de ambos os principais partidos estão quase encerradas, mas as regras eleitorais norte-americanas admitem candidaturas independentes. Kanye West e a Casa Branca Donald Trump e Kanye West se reúnem em Nova York em 2016 REUTERS/Andrew Kelly Não é a primeira vez que o rapper diz que quer ser presidente dos EUA. Durante o MTV Video Music Awards de 2015, West disse que disputaria as eleições de 2020 — o que gerou até brincadeiras por parte do então secretário de Imprensa do governo Obama, Josh Earnest: "Estamos ansiosos pelo slogan de sua campanha". No ano passado, durante encontro com Trump na Casa Branca, o cantor mostrou a foto de um pôster que dizia: "Keep America Great #Kanye2024", insinuando que ele concorreria à presidência em 2024 com um slogan parecido com o de Trump.

  • VÍDEOS: CETV 2ª edição de sábado, 4 de julho
    on 5 de julho de 2020 at 01:04
  • VÍDEOS: CETV 1ª edição de sábado, 4 de julho
    on 5 de julho de 2020 at 01:02
  • Aumento expressivo de casos da Covid cancela comemorações do 4 de Julho nos EUA
    on 5 de julho de 2020 at 01:02

    Por todo o país, a programação do 4 de Julho foi drasticamente alterada, 80% dos tradicionais fogos foram cancelados. No discurso para marcar a data, o presidente Donald Trump praticamente ignorou o tema pandemia. Aumento expressivo de casos da Covid cancela comemorações do 4 de Julho nos EUA Os Estados Unidos viveram, neste sábado, um feriado de Independência incomum. E no discurso para marcar a data, o presidente Donald Trump praticamente ignorou o tema pandemia. A cena é completamente atípica para o feriado da Independência americana. Praias da Califórnia fechadas e vazias. O mesmo na Flórida. E em Miami, o feriado ainda tem toque de recolher das 22h às 6h. O prefeito de Miami Beach disse no Dia da Independência que não há nada mais americano do que se sacrificar pela família, vizinhos ou mesmo por estranhos. Por todo o país a programação do 4 de Julho foi drasticamente alterada, 80% dos tradicionais fogos de artificio foram cancelados. Em Nova York, os fogos continuam, mas em locais secretos. Eles foram espalhados por diferentes pontos da cidade, que não foram divulgados para não criar aglomerações. As pessoas, com sorte, vão poder ver de seus bairros ou de casa, ou assistir pela televisão. Isso porque os números mostram uma pandemia que avança rapidamente no país. Em 40 dos 50 estados americanos, o número de infectados está crescendo. Chegou ao maior patamar em pelo menos 16, e sete estados registraram recordes de novos casos em um único dia. Mesmo assim, no discurso do 4 de Julho, o presidente Donald Trump mal citou a pandemia. Fez o que foi classificado como um discurso de campanha. E criou um clima de guerra, dizendo, por exemplo, que os protestos contra o racismo são uma “revolução cultural de esquerda para derrubar a revolução americana”. Contrariando o pedido das autoridades de saúde, o evento reuniu milhares de pessoas, quase todos sem máscara. Apesar disso, em meio ao recorde de novos casos nos EUA, o número de mortes vem caindo. Mas os especialistas alertam que pode ser só uma questão de momento: as mortes aumentam, em média, duas semanas depois dos surtos, prazo que ainda não chegou na maioria dos lugares.

  • Prefeitura de São Joaquim de Bicas, na Grande BH, endurece regras de abertura do comércio para tentar frear avanço da Covid-19
    on 5 de julho de 2020 at 01:02

    A cidade tem oito mortes e 66 casos confirmados, segundo a Secretaria de Estado de Saúde. Prefeitura de São Joaquim de Bicas decide restringir regras de funcionamento do comércio Com o avanço da Covid-19, a Prefeitura de São Joaquim de Bicas, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, decidiu restringir ainda mais as regras de funcionamento do comércio. A cidade já registrou oito mortes e cerca de 70 casos da doença. As mudanças estão valendo desde sexta-feira (4). O horário de funcionamento dos estabelecimentos não essenciais foi reduzido pra conter a Covid-19. Nos dias de semana só podem abrir das 9h às 17h. No sábado o funcionamento está permitido das 9h ao meio-dia. A flexibilização começou na cidade no dia 21 de abril quando a cidade tinha dois casos confirmados de coronavírus. Agora já são oito mortos e 66 pessoas com a doença, segundo a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES). A prefeitura quer diminuir o movimento na cidade principalmente à noite. Bares e restaurantes estavam ficando lotados e havia dificuldade de fazer a fiscalização. São Joaquim de Bicas tem 30 mil habitantes e muita gente ainda não se acostumou com uso das máscaras.