Na manhã de 4 de novembro, um homem invadiu o estabelecimento de uma empreendedora do Areal com um facão e mandou a mulher abaixar as calças. Uma vizinha viu o ataque e pediu ajuda. O bandido levou um celular da vítima e fugiu para um lixão da região.

A empreendedora foi salva do estupro graças ao grito de socorro da vizinha 

A identidade da empresária não foi revelada para resguardar a segurança da vítima. “Ele estava me vigiando. Quando viu que não tinha ninguém na rua, ele entrou. Eu estava de costas. Ele mandou eu ir para o fundo da loja e tirar as minhas calças”, relembrou a vítima.

No momento do ataque, a vítima diz que se sentiu impotente e em estado de choque. “Esse cara ia matar. Ia me estuprar e me matar”, desabafou. A empresária não se sente mais segura na região e pretende mudar de endereço. “Eu passei a andar sempre com uma faca”, completou.

Na hora do ataque, uma vizinha percebeu a movimentação e gritou por socorro. O criminoso fugiu de bicicleta em direção a um lixão, localizado perto do Parque do Areal. No calor do momento, a vítima foi, de carro, com uma conhecida até o local. “E ele estava lá, com uma sacola cheia de celular”, lembrou a empresária.

Chegando no lixão encontraram um ambiente cheio de pessoas. Mas o bandido não entregou o smartphone. Neste momento, os catadores teriam começado a bater no carro com paus e pedras. Assustada, a empresária deixou o local e logo em seguida voltou com os policiais, mas, diante do estresse, não conseguiu reconhecer novamente o agressor.

A empresária registrou um boletim de ocorrência na 21ª Delegacia de Polícia (Taguatinga) e, inicialmente, omitiu a tentativa de estupro. Pensou em resguardar a família. Mas com o passar dos dias, a empreendedora mudou de opinião e decidiu revelar a tentativa de violência sexual.

Share This
Participar