Na sexta-feira, 11 de setembro de 2020, o Distrito Federal registrou o dia mais quente e seco do ano. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a umidade relativa do ar caiu a 10%, enquanto os termômetros registraram 33,1 ºC.

Devido a baixa umidade, o Inmet e a Defesa Civil emitiram alerta laranja para risco potencial causado pela seca. A previsão dos meteorologistas é de que o calor continue intenso pelos próximos 10 dias.

A maior máxima da capital do país foi registrada no Gama e em Águas Emendadas. Até sexta-feira, 11 de setembro de 2020, a maior temperatura medida pelas estações meteorológicas havia sido de 32,8 ºC.

Início de setembro

Segundo o meteorologista do Inmet Olívio Bahia, entre o final de agosto e os primeiros dias de setembro, houve “uma chuvinha muito pontual em algumas áreas” do DF, mas não chegou a cair em estações do instituto. “Como não registramos essa chuva, dizemos que oficialmente são 100 dias sem chuva no DF”, explicou.

Logo no início de setembro de 2020, o DF completou 100 dias sem chuva, então o Inmet emitiu um alerta e a previsão era de mais calor. Desde o começo do mês, o DF entrou em alerta laranja para perigo potencial em função da baixa umidade relativa do ar 

No entanto, o Inmet já tinha falado que os dias desse mês seriam de seca e calor, que a temperatura poderia chegar a 30º e a umidade poderia ficar abaixo dos 20%. Passar protetor solar e aumentar a hidratação são cuidados necessários.

“Fica nesse nível de alerta porque, com a falta de chuva, a atmosfera fica poluída com as queimadas, a poeira. Isso acaba favorecendo alergias, doenças respiratórias”, ressaltou o meteorologista.

Por esse motivo, Olívio chamou atenção, então, para cuidados que o brasiliense deve ter nesse período do ano. “Evitar exercício físico nos horários mais quentes do dia, beber bastante líquido, manter a pele hidratada, não jogar bituca de cigarro no chão, evitar queimar lixo”, exemplificou.

Share This